Espero que este texto me faça famoso

”Fama” pode ser definida como a notoriedade de um indivíduo perante seu meio social. Porquanto é frequentemente associada com glória e reconhecimento, cria-se no imaginário de grande parte da sociedade um anseio por ser famoso, uma quase equivalência entre o ”ser conhecido” e ”ser feliz”. Embora disseminado em grande parte das sociedades e exacerbada na atual, isto é problemático, dado que pode desviar a ação humana dos objetivos mais relevantes e, inclusive, em alguns casos, impossibilitar a busca pela real felicidade.

Sobre o assunto, a intuição de muitos é clara: ser conhecido é prova suficiente e necessária de alguma habilidade exemplar e, pois, indicação da grandeza humana. A busca por excelência não é condenável, mas sua identificação com ser ovacionado pelo público é equivocada. Os exemplos do mundo virtual, onde a fama nasce por motivos inócuos e se finda de forma efêmera, indicam que se pode ser famoso sem ser grandioso, enquanto personalidades como Franz Kafka, Gregor Mendel e Van Gogh, desconhecidos durante toda a vida, provam a possibilidade de ser grandioso sem ser famoso.

Não obstante, quando se pensa excessivamente na aprovação de outrem, é possível que se esqueça as próprias vontades e, assim, termine-se frustrado. O filósofo moderno Michel de Montaigne afirmava que a felicidade humana repousa, principalmente, no desprendimento em relação a opinião dos outros, algo incompatível com a busca de glória aos olhos alheios, que é basal na fama. Figuras como o artista que se expressa mais para agradar o grande público do que para externalizar seus próprios sentimentos exemplificam a crítica de Montaigne.

Presente em toda história, é utópico pensar em eliminar a busca pela fama. No entanto, cada indivíduo deve se avaliar e julgar se seus esforços estão mais ligados ao auto-aperfeiçoamento ou ao mero desejo de receber elogios alheios. Caso o segundo caso esteja muito exacerbado, cabe a ele mudar as diretrizes de suas ações, levando em conta a contingência da relação ”fama” e ”grandeza” e as possíveis adversidades de angariar notoriedade. Ao se fazer isso, coloca-se a fama como apenas um produto possível da grandeza, não como seu equivalente ou medidor, diferenciação que permite um caminho menos tortuoso para a felicidade.

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: