Arquivo mensal: novembro 2015

Ler : ser ou parecer?

Observei em uma de minhas idas à biblioteca o quão diferente são as pessoas que a frequentam – se você ainda não visitou uma, por favor, o faça –, mas, dentre suas divergências de comportamento ou preferências literárias, possuem em comum o ato de ler (em público). Do tempo em que fico lá, uma parte reservo realmente […]

Você é um puta arrogante

Sim, você é. Talvez, por medo de ser julgado, não expresse isso de forma contínua ou clara, mas, no fundinho, acha-se mais virtuoso que a maioria das pessoas. Neste íntimo, vê as pessoas como menores do que você: enquanto você é geralmente bom, elas são babacas e hipócritas o tempo todo; você tem um gosto […]

PELA LUZ DOS OLHOS TEUS

A cidade brilha! Em menos de um século e meio de lâmpada elétrica, a luz nos dominou. Há luz nos postes, nas calçadas, nas vitrines, nas casas. Criou-se luz portátil e até os carros trazem um brilho no olhar! Mas se perdeu a luz dos olhos encarnados, no ritmo caótico e apressado das ruas da […]

Para os monarquistas, ou, o que é o mesmo, para os burros políticos.

Hoje, 15 de novembro, é a data civil mais importante do calendário brasileiro. É o dia em que se comemora a grandiosa, apoteótica e divina proclamação da República presidencialista, feita pelo Marechal Deodoro da Fonseca, maior brasileiro de todos os tempos. Embora inquestionável em sua superioridade, há ainda, pasmem, alguns que creem ser o parlamentarismo […]

O Homem Que Analisa Gerações

Se o tempo é cíclico ou não, se as gerações se diferenciam mais do que se assemelham, se são X, Y ou Z, não cabe a mim dizer, e provavelmente nem a você, mas ao homem que analisa gerações. Esse homem foi levado por todas as suas escolhas e todos os acasos não seus a […]

Teogonia Omniista

Vida e morte, numa tarde, na Paulista, deram as mãos e, desde então, o sol poente já não sabe mais se vai ou volta.   De fato, se volta. Tudo o que há se volta para um espetáculo de tal magnitude. É o encontro desses dedos, é o entrelaçar dos mesmos, são as palmas dessas […]

TÉDIO, O URSO

Havia, feliz, distante Pululando, saltitando Do sedentarismo amante Tédio, o deveras brando. Um ursinho pacífico Oportuno e astuto Em chatear, prolifico Pensando nisso, matuto. “Se me tens quando só estou, Me deixas quand’ algo faço. Escarnecer-lhe a face vou De cigarros ruins és maço. Que não sejas tu Caríbdis Me sugues pra teu vórtice E […]

Parcelas ocultas

Minhas parcelas mais ocultas Me obrigo a indagar A cada toque truculento Que no coração a mente dá. – É como se tocasse uma ferida Uma Fração mal resolvida O questionamento é um urubu À procura de carniça. – Nas sombras à procura de luz E nunca deixando de lembrar  Que a verdade em formulas não […]

As análises de um homem racionalista

Gaspar acordou, como todos os dias, cinco e meia da manhã. Realizou exercícios aeróbicos, abdominais e flexões, nesta ordem, por 30 minutos. Diz-se que se ganha duas horas a mais de vida a cada treze abdominais. Seis horas, tomou um banho de quinze minutos, dos quais cinco foram gastos regulando a chave termostática grau por grau, […]

Too fast to task

Algo como: muito rápido para (realizar) tarefas. A geração pós moderna é conhecida pela habilidade de “multi task”, realização de variadas atividades ao mesmo tempo. Entretanto, essa capacidade torna o conhecimento profundo e a dedicação intensa quase impossíveis. Com o surgimento de smart phones e da internet, tornou-se possível estar em todos os lugares e […]