8 de março.

Então, é dia 8 de março novamente. Mais uma vez chegou o seu dia, não?

É… O dia em que o mundo inteiro se pinta de rosa e se curva em respeito a você.
A você, símbolo sagrado de perseverança, amor, força, sedução, maturidade, sabedoria e proteção.

Você, responsável por entregar a dádiva da vida, e que espera pacientemente durante intermináveis 9 meses para amar incondicionalmente um ser que nem sequer ainda existe.

Você, berço de todo ser humano, colo para nossa infância, ombro para nossos prantos.

Você, mulher.

Mas a sua vida não é esse mar de rosas. Claro que não.

Desde a infância, você já escuta: “isso não é coisa que menina faça!”, “não vá à escola assim, você vai distrair os meninos!”, “lugar de mulher é na cozinha!”

Na idade adulta, enfrenta a discriminação no mercado de trabalho, assédio sexual, violência doméstica, preconceito, entre tantos.

É, não é fácil ser você.

Mas não é por isso que você desiste.

Como foi dito antes, você é símbolo de luta, perseverança.

Quer exemplos? Para protestar contra os padrões de beleza da sociedade, por exemplo, você, mulher, tentou queimar sutiãs em praça pública. No processo de exigir melhores condições de trabalho, dezenas de mulheres foram queimadas vivas num incêndio em uma fábrica nos EUA. E quando alguém diz que mulheres são fracas e frágeis, é porque não conhece as mulheres curdas, que enquanto os homens e crianças fugiam de suas aldeias, estas ficaram para proteger a sua terra de ataques do Estado Islâmico e milícias. Uma comunidade formada somente por mulheres, unidas pelo seu sentimento de amor à terra, conseguiu impedir a dominação do território de tal forma que eram colocados preços por suas cabeças, pois cada mulher chegava a matar mais de cem soldados. Cidadãs comuns. Como isso pôde acontecer? Simples. Uma mulher faz de tudo para defender aquilo que ama, e nem mesmo soldados da porra do Estado Islâmico conseguem deter uma mulher determinada. Não há nada mais poderoso. Enquanto isso, os homens hasteavam a bandeira branca e batiam em retirada. Se o sexo feminino é o sexo frágil, então é preciso redefinir o conceito de fragilidade.

Estas características são o que tornam você tão especial, mulher. E depois de tanto tempo, tanto trabalho árduo, você conseguiu conquistar os grande parte dos seus direitos. Mas a luta ainda está muito longe de acabar. Nós dois sabemos disso.

Continue sendo como é. Continue lutando pelos seus sonhos. Foi você que tornou o impossível, o inacreditável, em algo totalmente possível. E é através desses sonhos que o seu futuro começa a ser desenhado. São poucos aqueles que almejam o improvável, que fazem o que ninguém é capaz de realizar. E estes são os mesmo que conseguem ir tão longe que ninguém pode alcançá-los. Você, mulher, é algo único, objeto de admiração. É nós ainda temos muito o que aprender com vocês.

Quem dera se o mundo fosse um pouco mais… mulher.

Parabéns a você, não só hoje como sempre.

Sinceramente,

um homem.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: