Este texto não é sobre cigarros

Se tem algo que me bota no eixo, são os meus cigarros. Eu posso ver perfeitamente quanto vai demorar para ele acabar de novo, e ele sempre acaba, me lembra de manter o pé no chão.

Dizem que o que realmente vicia no cigarro não é nem a nicotina, é o movimento, é a rotina de acender e apagar. Se for o caso, sou eternamente grato por esse movimento repetitivo, é como encontrar estabilidade no instável, uma variável constante, paz no caos. Essa estabilidade me mantém são enquanto ando na rua, onde a merda vem por todos os lados: as pombas cagam o céu, os cachorros cagam no asfalto e tem as pessoas, que falam. O próprio cigarro tem gosto de merda, merda de vaca, diga-se de passagem. Gosto de merda, cheiro de merda, já me queimou quando aceso e, inevitavelmente, apaga.

Mas como é bom esse movimento. Me mantem preso? Talvez. Mas pelo menos eu sei que não vai mudar. Eu tenho um pacote de maços e eles me manterão entretido, me privarão do pior exílio de todos: o exílio para o pensamento. Melhor esse mecanismo maquinal. Pega o cigarro, coloca na boca, levanta o isqueiro, flexiona o dedão, guarda o isqueiro, alternam-se tragadas e sopros. Na verdade, quem sabe, realmente faz mal, já que… digo… ah, essa fumaça, não vejo um palmo diante da cara. Como é que um exercício aeróbico pode fazer mal pro pulmão?

Mas faz. Fiquei tão animado quando comecei a fumar, era divertido, descolado, era novidade. Com o tempo, meu sorriso foi ficando amarelo, já não tenho muito fôlego pra vida. E por isso gosto mais ainda do cigarro, ele me priva da reflexão sobre minha própria miséria.

Como estou refletindo sobre isso, então? Simples, pouso os olhos sobre a chama do isqueiro, ela é meu repouso. Essa chama me dá esperança, é um dos poucos brilhos que resta no meu olhar e que ilumina o meu sorriso. Esse isqueiro é ótimo para dias frios, como hoje, aquece minhas mãos quando cubro as chamas com carinho.

Quase me dá pena gastar a chama só para acender o cigarro de novo. Sempre compro um pacote, pois dura até de noite. É a pior hora, fria e escura. É nessa hora que acendo o isqueiro intransitivamente, acendo por acender, acendo porque me aquece, porque proporciona um leve vislumbre do meu ser. Porém, não o acendo muito, medo de acabar. Está escurecendo e o pacote já está se esgotando. Mais um maço, outro maço; último maço. Último cigarro… última tragada………………….

É o último bastardinho assassino, mas também é meu último pedaço de alma, que se exploda, vou encerrar essa estirpe. O bastardo escorrega e cai no meu pé descalço, filho da puta. Piso e esmago. O isqueiro, sempre solícito, vai leve no bolso. Recarrego o fluido. Amanhã, comprarei outro pacote, como novas promessas de sorrisos alvos pristinos.

Sorrisos, nada. Tosse, isso, sim, e um pouco mais de câncer de pulmão. E vício, e gosto de bosta, e cheiro de bosta, e fatiga, e falta de fô… (inspira… espira… inspira… espira) falta de fôlego. Se é o isqueiro que me inspira, quem me expira deve ser o outro. Não tinha considerado isso antes. Deve ser a visão da chama que queima, em minhas mãos como em meu peito. O isqueiro me chama, me chamou o dia inteiro. O outro não me chamou, apenas me chamuscou. É bom ter o isqueiro, por isso tenho medo de usá-lo demais. Está ficando frio, mão ao bolso, dedão flexionado… e nada. Dedão flexionado… e nada. Dedão flexionado, dedãoflexionadodedãoflexionadodedãoflexionado

Entra Deus:

– Um fato que Eu determinei, mas que poucos conhecem, é que o isqueiro, quando pouco usado, encerra seu expediente em definitivo.

E só agora avisa, filho da puta? São todos. Ainda levo a chama na memória, ainda, a noite é fria.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: